Saúde

Mulher acreditou ter 15 anos após agressões do marido. Entenda 

Agressões do marido fizeram parte do casamento de Glaucia
Foto: Pexels.com

Glaucia Duarte dos Santos é mulher, preta, mãe e dona de um ateliê onde faz roupas e customizações. Aos 32 anos, ela declara que hoje é feliz: “Sou independente e ninguém mais me domina ou segura minha voz. Sou dona da minha vida. As situações podem acontecer, mas a gente enquanto mulher é muito forte”.

A segurança vem depois de uma longa trajetória marcada por um relacionamento abusivo. “No começo era um mar de rosas. Ele era muito carinhoso e atencioso. Do tipo que comprava Fanta Uva porque sabia que era meu refrigerante favorito e chegava em casa em momentos aleatórios com uma rosa”, descreve.

As características de um homem violento apareceram gradualmente. “Ele começou a mostrar ciúme, reclamar de roupas e de amigas”, lembra Glaucia. “Depois, tomou proporções maiores, com proibições de trabalhar e de ver a família. Aos poucos, fui ficando cada vez mais só com ele. E quando você percebe, está cercada no mundo dele e de pessoas que são a favor dele”, completa.

Glaucia trabalhava fora, mas engravidou e não tinha quem ficasse com as crianças. Nessa época, as proibições aumentaram, ela não podia mais fazer compras sozinha.

“Ele passou a ficar mais possessivo e agressivo, quebrar as coisas. Ele batia nas coisas comigo e me tacava contra os móveis. Colocou uma faca na minha barriga quando eu estava grávida. Chegou um tempo que não precisava mais ter ciúmes para ele brigar. Qualquer coisa ele cismava, até a perda de uma chave”.

Glaucia teve três filhos com seu ex-marido. Seis meses depois de dar à luz a última filha, sofreu a pior agressão, porque queria voltar a estudar. E a violência arrancou sua memória.

“Ele foi me pegar na escola, estava muito bravo e revoltado. Eu me lembro dele batendo minha cabeça contra o carro, dando soco. Porque ele dizia que ali não ficaria marca”, conta. “Ele me sufocava e eu perdia a consciência. Chegou a me colocar duas vezes embaixo do chuveiro. Quando eu acordava, ele continuava me batendo”.

Na última cena de que se recorda, Glaucia estava embaixo do chuveiro. “Acordei no outro dia na cama e já tinha perdido minha memória, não sabia onde eu estava. Achava que tinha 15 anos mas, na verdade, já estava com 23”, descreve.

“Achava que tinha que ir para a escola. Dizia que meus pais não tinham dinheiro, porque naquela época eu morava com meus pais e achava que tinha sido sequestrada. Lembrava de tudo, mas só até essa idade”, completa.

Glaucia não queria comer e nem chegar perto do então marido, pois sentia medo. “Mas eu não lembrava nada. Só sabia que meu corpo estava doendo, com hematomas e sentia muita dor de cabeça”.

O marido mostrou fotos antigas na tentativa de lhe fazer lembrar. “Fiquei com menos medo, mas confusa. Pensava: sou eu, mas não sou. Eu não estava lá”, afirma.

Percebendo a gravidade, ele resolveu procurar ajuda. Acompanhada do homem que agora não passava de um estranho, Glaucia foi a alguns hospitais sem ter noção de onde estava. “Pra mim, era como ir em algum lugar pela primeira vez. Um médico chegou a dizer que eu estava fingindo”, conta.

O que aconteceu no cérebro de Glaucia?

Trauma na cabeça pode levar à perda de memória

Trauma na cabeça pode levar à perda de memória
Freepik

O espancamento pode causar a perda de memória por motivo psicológico e também físico (trauma emocional e traumatismo craniano), de acordo com o neurologista Roger Taussig Soares, do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, em São Paulo.

No caso do trauma emocional, ocorre a amnésia dissociativa. “Acontece um bloqueio psicológico por causa de algo traumático que a pessoa sofreu e isso impede que ela se lembre daquele período”, explica Soares.

De acordo com ele, esse esquecimento é comum em situações de guerra e abuso sexual. “A perda de memória pode durar décadas. Pode acontecer qualquer coisa, inclusive lembrar de alguns períodos da vida e esquecer de outros. A recuperação é com tratamento psicológico”, afirma.

Já a amnésia por traumatismo craniano é causada por uma lesão no cérebro.
“A batida [da cabeça] danifica estruturas cerebrais relacionadas à memória. Pode acontecer, por exemplo, com alguém que sofre um acidente de carro. Normalmente, atinge pessoas que ficaram em coma”, esclarece o neurologista.

Soares observa que existem três processos de memória: codificação, armazenamento e recuperação.

“O traumatismo afeta a codificação de novas memórias, pois atinge uma região chamada hipocampo. Mas a pessoa não tem dificuldade de se lembrar de coisas antigas, porque já estão arquivadas no cérebro”, explica.

Glaucia recuperou a memória repentinamente, por isso Taussig supõe que o caso dela foi de amnésia dissociativa. “Se ela teve uma recuperação súbita, provavelmente não estava com uma lesão neurológica. Em geral, as lesões do cérebro se regeneram gradualmente”, analisa.

Entretanto, o especialista ressalta que só é possível fazer o diagnóstico correto com a realização de exames. “É necessário fazer ressonância magnética e inúmeros testes cognitivos”, afirma o neurologista.

Recuperação da memória e decisão de se separar

Glaucia ainda conviveu com seu agressor por um mês. Depois, passou dois meses na casa de seus pais. Lá, ela recuperou suas lembranças. E ficou dividida entre o medo e o alívio.

“Eu dormi e acordei com memória. Tive desespero, medo da morte, de não ver mais meus filhos, de ele usar isso contra mim para conseguir ficar com as crianças. Senti alívio por estar de volta e muito medo pelo que ia acontecer”, lembra.

Ela voltou com o ex-marido para ficar perto dos filhos. Mas estava decidida a se separar, apesar dos obstáculos. “Eu não tinha trabalho, casa e era tudo no nome dele. Meus pais nunca me apoiaram. Eu não tinha pra onde correr”.

Até que Glaucia arrumou um emprego e comunicou que ia se separar. Então, o ex-marido resolveu que eles iriam se mudar. “Foi do dia para a noite, fiquei sem saída”, conta.

Ele passou a trancá-la dentro de casa. Certa noite, após uma festa, Glaucia foi espancada de novo. Ela trocou a fechadura da porta. Mesmo assim, foi agredida mais uma vez e finalmente se separou.

Ficou em situação de rua por dois meses e conseguiu se reerguer com a ajuda de uma amiga. Arrumou emprego e casou de novo. “Hoje sou feliz com minha família. Meu marido me apoia e tenho outras batalhas”, comemora.

Deixe um comentário

Your email address will not be published.

You may also like

Leia MAis

Lilly ford escort Romantix los angeles, ca Oriental spa grand forks nd Backpage georgetown tx
Altoona pa hookers Greenville sc headhunters Local escort girls
Blackpages dallas Escort krypton
Mishawaka escorts Backpage miami male escorts Stage dolls new jersey
Bottoms up gentlemens club Putas en long island ny
Stateline arcade el paso 3109181090 Toronto erotic review
6125169009 Sex clubs in michigan Adult entertainment fort myers
Asian massage spa, fort lauderdale florida Arlington backpage tx
Call girls glen allen Massage happy ending in san jose
Couples adult novelties leominster, ma Eros minn Newtime massage Chico personals
Hilton new brunswick canada Rubmaps encino Seattle escort backpage
Www.pornhub.com mobile Phoenix incall massage Shemales in grand rapids
7 479 995 308 Gentlemen clubs in tampa
Find someone to fuck near me 3106929165 Black transexual pictures Swingers clubs in texas
Winston salem milf Richardson massage
Back page billings mt Saginaw michigan backpage Massage 49
Oklahoma city rub Salem,oregon backpage 7028450878
Topless cabaret Escorts in jacksonville, fl
Long island ny escort Club xtra ft.lauderdale
Tex mex gentlemens club 3102923793
Trany dating Sex massage xuhui 2019 Mexico scorts
Escort praxilla out of the shrine Paradise fountain syracuse ny Dominatrix girlfriend
Massage parlor in atlanta Best sexy ass
Gfe escort nnj Ford escort mark 2 Massage green utica
Escort at singapore price Seattle escort sites Live escorts tampa
Sexi tijuana com Chattanooga independent escort Backpage floresville tx
Bath house fort lauderdale fl Sex shop u street washington dc Swingers clubs reno nv Ebony tranny list
Club dallas bath house Strip clubs in hammond la
Greenville ms classifieds Brownsville texas escorts Asian massage green bay Backpage central
Ithaca backpages Asian massage springfield va Sex massage room
Prostate milking san diego Black page oc Dinah mite Backpage com south bend
Massage in brainerd mn 12" in asian pussy
Backpage fort lauderdale com Trannys in houston Craiglist clovis nm Gilroy massage
Canton backpage massage Adult search new orleans Lingerie concord Chicago exclusive escorts
Naughty asian massage Blonde bbw
Listcrawler myrtle beach Sensual massage wisconsin Escorts in waco tx
Mcdonalds keeaumoku Speacia Macau escort
Adult stores with glory holes Carmen ts Backpage freehold
Alligator alley 247 Sakura massage san diego Atlanta escort female
Pussy for girls Gay bath san antonio Seattle gay escort Malibu san antonio tx
Pocatello escorts New delhi strip club
Hilton san marcos tx Escorts in st pete fl 7796012298 Massage tri cities tn
Cityxguuide Barrie personals
Williamsburg va escorts 3007 s dairy ashford houston tx Wet n wild specials Nyc backpage massage
Escort dating services Cherry girl escorts Vanitymariexo Mnl courtesans
Escort reviews san jose Onebackpage
Renton wa escorts Craiglist bellingham Sex massage india 2019
Call girls wichita ks Juneau empire classified ads Chubby aunt sex massage
Fbsm houston Uu massage White pages denver metro
Gastonia classifieds Onlyfans ts
Sexy older japanese women Gay massage south florida
Tantra massage new york Backpage ts denver
Hot black escort northern Stateline showgirls post falls id
Hicksville massage Masajes san diego california
Big girls little pussy Women getting erotic massage
Llebar Idaho escort Www.columbusbackpage.com