Suspeitas por assassinato de menino em Valéria são agredidas até a morte

A mãe e a filha suspeitas de envolvimento na morte de uma criança de 3 anos em Nova Brasília de Valéria foram achadas mortas com sinais de agressão em Simões Filho, na Região Metropolitana de Salvador, na manhã desta terça-feira (20), algumas horas após o primeiro crime. Mãe e filha eram vizinhas do pequeno Luiz Fernando, que foi achado morto dentro de um saco na casa delas

Segundo a polícia, os corpos de Rosenilda de Cássia Gonçalves, de 61 anos, e Uelma Gonçalves da Cruz, 38, foram achados perto de uma fábrica no CIA. Uma equipe da 22ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM) foi até o local após receber denúncia sobre corpos abandonados na Estrada Santo Antônio do Rio das Pedras. Eles já encontraram as duas sem vida, isolaram a área e acionaram a perícia. Não há informações sobre suspeitos.

As mortes das duas serão investigadas pela 22ª Delegacia (Simões Filho). Já o assassinato do menino é investigado pela 3ª Delegacia de Homicídios, em Salvador. Familiares e testemunhas são ouvidos e laudos periciais auxiliarão nas investigações, diz a Polícia Civil.

Menino achado morto
Um menino de 3 anos foi encontrado morto dentro de uma casa no bairro de Nova Brasília de Valéria, na madrugada desta terça-feira (20). Segundo informações da mãe da criança, Daniela Goés, Luiz Fernando foi encontrado na casa da vizinha dela. O caso ocorreu na Rua Manuel Quirino. 

Em entrevista à TV Bahia, ela contou que ele estava na frente de casa e ela o deixou brincando com outras crianças, na noite dessa segunda-feira (19). “Fui em casa e quando voltei, não encontrei mais”, relatou.

(Foto: reprodução)

A vizinha, identificada apenas como Cacau, inicialmente negou que a criança estivesse em sua casa. “Eu fui na casa de outra vizinha, mas ela disse que não estava lá também. Que ele tinha ficado no mesmo lugar que deixei. Ninguém viu ele entrando  na casa dela”. 

Daniela continuou procurando pelo filho e voltou à casa da moradora. Lá, encontrou um saco de linhagem embaixo de uma mesa. Ao carregar, encontrou o corpo do filho. “Eu perguntei por que ela fez isso com ele e ela ficou dizendo: ‘Ele não está morto, está desmaiado’. Eu trouxe ele pra UPA, e o médico disse que ele recebeu paulada e deve ter sido estrangulado. Ele estava cheio de hematomas no pescoço”, contou Daniela.

Ela não sabia o que pode ter motivado o crime e diz que não tinha desavenças com a vizinha. Os filhos das duas costumavam brincar juntos. “Quando eu cheguei da UPA, para ver se ela estava lá para responder, os vizinhos disseram que ela havia fugido com a mãe e o filho. Mas não levou nada porque quando a perícia chegou lá, estava tudo no lugar”, comentou Daniela.

Fonte: Correio

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo