São Paulo planeja início da revacinação anual contra Covid para 17 de janeiro

O secretário da Saúde do estado de São Paulo, Jean Gorinchteyn, afirmou que um novo ciclo de vacinação contra o coronavírus irá se iniciar em 17 de janeiro de 2022 no estado.

“Assim como nós fazemos em relação à gripe, essa nova fase de imunização contra a Covid irá se iniciar no dia 17 de janeiro do ano que vem. Foi exatamente o dia que nós vacinamos a primeira brasileira aqui de São Paulo, Mônica Calazans”, disse o secretário.

Foi nesta data em que a primeira brasileira a ser vacinada no Brasil, a enfermeira Mônica Calazans, recebeu a primeira dose da vacina Coronavac no estado de São Paulo.

Gorinchteyn disse que não se trata de uma dose de reforço. Ou seja, a partir de janeiro do próximo ano, toda a população paulista começará a ser vacinada novamente.

“Isto não é um reforço. Isto é uma necessidade que nós temos de estar sempre, anualmente, fazendo uma proteção. Nós chamamos de reforço vacinal quando eu uso uma terceira ou quarta dose. Nós estamos seguindo a prerrogativa das vacinas pra vírus respiratórios como da gripe, que anualmente recebem uma imunização”, disse.

Segundo o secretário, a expectativa é que o Ministério da Saúde e o Conass (Conselho Nacional de Secretários de Saúde) também tenham o entendimento de que é necessário o início do novo ciclo em janeiro. O governo de São Paulo, porém, iniciará a vacinação independentemente de um consenso, disse.

“O estado de São Paulo vai iniciar seguramente uma nova campanha a partir do dia 17 de janeiro do próximo ano. Nós entendemos que nessa articulação junto com o próprio Ministério da Saúde e o Conass, [que eles] também terão esse entendimento, para que possamos expandir essa nova fase da vacinação não apenas para São Paulo, mas para todo o país.”
A fala ocorreu nesta segunda-feira (19), durante a entrega de 1 milhão de doses de Coronavac ao Ministério da Saúde.

É a quinta entrega que o Instituto Butantan faz ao PNI (Plano Nacional de Imunização) este mês. Ao todo, cerca de 54,1 milhões de doses foram enviadas.

As últimas quatro entregas fizeram parte de um lote de 10 milhões de doses que o Butantan começou a enviar ao Ministério da Saúde neste mês.
Até o final de agosto, o governo estadual pretende entregar as 100 milhões de doses encomendadas pelo governo federal, antecipando em um mês o prazo inicial, que era 30 de setembro.

O Butantan também trabalha na produção de uma nova vacina contra a Covid-19, a Butanvac. Segundo o secretário da Saúde, já existem 20 milhões de doses já produzidas aguardando envase.

“Quando, após 17 semanas de estudo, se consagrar pela [Anvisa] Agência Nacional de Vigilância Sanitária, a segurança e a efetividade para a proteção contra a Covid-19, de forma imediata nós já teremos 40 milhões de doses da vacina que serão disponibilizadas para todos os brasileiros, inicialmente do estado de São Paulo”, disse.

O vice-governador, Rodrigo Garcia, aproveitou a ocasião para atualizar o estado de saúde do governador João Doria, que recebeu o diagnóstico de Covid-19 na última semana.

Segundo Garcia, Doria teve apenas sintomas leves e neste momento está assintomático, despachando à distância.

Nesta segunda-feira, começa a vacinação de pessoas entre 30 e 34 anos no estado de São Paulo. Em seguida, no dia 5 de agosto, será a vez daqueles entre 25 e 29 anos. Por fim, em 13 de agosto, adultos entre 18 e 24 anos poderão receber a aplicação.

Fonte: O Tempo

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo